sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Insônia

A insônia é um dos mais prevalentes de todos os distúrbios do sono. Aproximadamente 30% da população relatam experiências com sintomas de insônia e, ocasionalmente, 10% sofrem de insônia crônica. A insônia é caracterizada por dificuldades em iniciar o sono, manter o sono, acordar cedo demais ou ainda, ter um sono não reparador. 

As pessoas geralmente relatam outros problemas relacionados à insônia como fadiga, sonolência, perturbações do humor, comprometimento da atenção, e déficits de memória. 

Vários fatores podem ocasionar a insônia:
Preocupações com o trabalho, família, saúde, escola, etc.;
• Problemas de relacionamento e dificuldades nas relações afetivas;
• Ansiedade e/ou Depressão;
• Uso de determinados medicamentos; 
• Barulhos e/ou luzes;
• Ingestão de cafeína, álcool, nicotina, etc;
• Mudanças de horários constantes;

Algumas mudanças simples podem ajudar a estabelecer um hábito regular de sono, evitando assim os problemas com a insônia. Procure sempre deixar o quarto de dormir silencioso, escuro e com temperatura agradável; ter sempre um horário fixo para deitar e levantar; não ingerir bebidas alcoólicas, e bebidas que contenham estimulantes ou cafeína, evitar o uso do tabaco e a ingestão de muita comida ao anoitecer.

E quando a insônia estiver interferindo no seu dia a dia, procure ajuda especializada. Uma pesquisa feita em Québec no Canada, pelo pesquisador Morin C. M., mostrou que a psicoterapia é eficaz para mais de 70% dos pacientes e ajudam tanto na fase inicial do sono quanto na sua manutenção. Além disso, a psicoterapia permite que muitos pacientes recuperem a sensação de controle sobre o sono, diminuindo assim o sofrimento emocional causado por esse distúrbio.

Fonte:
Cognitive-behavioral approaches to the treatment of insomnia. (Morin M. C.)   J. Clin Psychiatry. 2004;65 Suppl 16:33-40.

Rosani Ap. Antunes Teixeira
Neurônios no Divã: Psicologia e Neurociências

Nenhum comentário:

Postar um comentário