quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Transtorno do pânico

Em uma crise de pânico o ar parece que vai faltar, o coração dispara, o suor torna-se intenso, a boca seca, sente-se um grande mal-estar e uma sensação terrível de que algo muito, muito ruim vai acontecer.. E essas crises podem acontecer sem nenhum aviso prévio! 

A síndrome do pânico costuma ter início no começo da vida adulta, e geralmente aparece em situações de muito estresse e pressões, no trabalho, na família, etc. 

Os sintomas fisiológicos do ataque de pânico são: falta de ar, coração acelerado, tonturas, dor no peito, sudorese, ondas de calor, tremores, sufocamento, náuseas e dormência. E as de natureza psicológica são: sensação de irrealidade, medo de perder o controle e medo de morrer. 

Felizmente, esse transtorno possui tratamento (medicamentoso e psicoterápico), que tem como objetivo eliminar todos os sintomas do pânico para que a pessoa volte a ter uma vida normal, prazerosa, produtiva e com muita qualidade de vida. 

As medicações para o transtorno de pânico ajudam a reduzir e prevenir os sintomas e podem ser: Inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS), Inibidores de recaptação de noradrenalina e serotonina (IRNS),  Antidepressivos tricíclicos ou ainda Benzodiazepínicos. 

A psicoterapia pode ajudar na compreensão da crise de pânico, no desenvolvimento de estratégias para lidar com a doença e com técnicas para controlar a ansiedade. 

Então, ao perceber sinais que indicam transtorno do pânico, não perca tempo!!! Procure ajuda especializada. 


Rosani Ap. Antunes Teixeira
psic_rosani@yahoo.com.br
Neurônios no Divã

Nenhum comentário:

Postar um comentário