quarta-feira, 6 de abril de 2011

Vida moderna: Prejuízo ao cérebro e comportamento?

O termo circadiano provém do Latim "circa diem", que significa "cerca de um dia". E ritmo circadiano é o período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia todo o ciclo biológico do corpo humano e de qualquer outro ser vivo, influenciado pela luz solar. Ele influencia várias funções do nosso corpo, como temperatura, níveis hormonais, ritmo cardíaco e pressão arterial.

Nossa sociedade moderna, industrializada, 24 horas e com iluminação elétrica sempre presente, resultou em um desequilíbrio entre nosso ritmo circadiano e o ambiente externo natural. E os efeitos desse desequilíbrio para a saúde física e mental ainda não são muito bem conhecidos.

Um artigo publicado na revista científica "Proceedings of National Academy of Sciences" no início deste ano sugere que alterações no ritmo circadiano têm um impacto substancial sobre nosso corpo e nosso cérebro. Durante 10 semanas os pesquisadores fizeram experimentos com ratos alterando o ciclo de claro-escuro (noite-dia) para 20 horas apenas, sendo que o natural é 24 horas. Após seis semanas, eles observaram várias mudanças nesses animais.

Mudanças fisiológicas observadas:
Mudanças nas estruturas neurais;
Mudanças na temperatura corporal;
Aumento da obesidade (os ratos ficaram mais gordos).


Alterações comportamentais observadas:
Diminuição na capacidade de adequar as respostas às contingências (menor flexibilidade mental);
Aumento da impulsividade;
Emotividade aumentada.


Essas alterações em nós, seres humanos, podem refletir em dificuldades em planejar ações, traçar estratégias, avaliar e controlar o próprio comportamento e principalmente dificuldades para pensar bem antes de agir.

Estudos como esses são extremamente necessários para fornecer dados para avaliar a eficácia dos tratamentos (medicamentoso ou não), que visam a redução dos efeitos de mudanças no ritmo circadiano. Pois em inúmeras profissões os indivíduos operam em condições onde há uma alteração desse ritmo, como por exemplo: pilotos de avião, médicos, profissionais das forças armadas e muitos outros. Determinar os efeitos que essas alterações exercem sobre o cérebro, o corpo e o comportamento são fundamentais.

Fonte:
I. N. Karatsoreos, S. Bhagat, E. B. Bloss, J. H. Morrison, B. S. McEwen. Disruption of circadian clocks has ramifications for metabolism, brain, and behavior. Proceedings of the National Academy of Sciences, 2011; 108 (4): 1657.

Rosani Ap. Antunes Teixeira 
psic_rosani@yahoo.com.br
Neurônios no Divã: Psicologia e Neurociências
Blog feito por psicólogas que acreditam em neurônios
http://www.neuroniosnodiva.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário